Domingo Sesc + Arte: Cultura não é gasto. É investimento, emprego e renda!

A 2ª edição do Domingo SESC + Arte, projeto realizado pelo SESC Farroupilha em Parceria com a Marca Produções Culturais atendeu cerca de 600 pessoas de três bairros descentralizados da cidade de Farroupilha.

O projeto nasceu da necessidade de descentralizar e democratizar as iniciativas de promoção cultural na cidade. “Os bairros da cidade de Farroupilha são geograficamente isolados, e a maioria das atrações culturais existentes na cidade, acontece predominantemente na região central”, comenta Cássio Azeredo, um dos idealizadores do evento. A edição contou com três dias de encontro: ainda em dezembro de 2018 o bairro Primeiro de Maio foi o primeiro a receber o evento, no dia 27 de janeiro foi a vez do bairro Monte Pascoal e no dia 28 de fevereiro o bairro Cinquentenário fechou esta segunda edição.

Abaixo você pode conferir o depoimento do diretor da Marca Produções Culturais Cássio Azeredo acerca do evento.

“Eu poderia falar aqui de estar levando arte e cultura para bairros distantes e centralizados de uma cidade, podia me ater a inversão de hierarquia urbana ou a ressignificação do espaço público, enfim, do poder simbólico e da construção social da arte. Mas nestes tempos em que a gente (sobre) vive gostaria de chamar a atenção para outro aspecto.

Foram apenas três domingos mas o pessoal da farmácia vendeu dois protetores solares e um repelente, o dono do restaurante vendeu 18 almoços, os postos de gasolina abasteceram carros que não estariam aqui se não houvesse o projeto. O senhor que vende algodão doce teve trabalho. A mulher da pipoca também. Assim como a empresa que loca os brinquedos infláveis e a padaria que vendeu os lanches. Dois funcionários levaram e recolheram os sanitários químicos em cada evento, sem falar no pessoal da limpeza que antes e depois do evento tiveram trabalho. Seis pessoas trabalharam em cada final de semana para garantir o som, a luz e a estrutura. O Designer do projeto teve trabalho na criação gráfica, assim como a menina encarregada da alimentação e das redes sociais. Estava me esquecendo do fotógrafo, da empresa que locou o carro de som, e também da gráfica que imprimiu todo o material. Ainda nem cheguei nas atrações do evento, e certamente devo estar esquecendo de muitas pessoas. Aqui cabe mencionar o grupo de teatro que teve trabalho, as meninas da música, a escola de Parkour, o coletivo que trabalha com bambolês, o menino da perna de pau, a equipe de produção, enfim todos que tiraram seu sustento e alimentaram suas famílias, por meio desse evento.

Esse é o mercado da cultura de que tanto falamos. É uma rede de pessoas e profissionais envolvidos para a realização de um único evento. Com a demanda de atrações culturais minguando, com os editais sendo extintos, com os artistas sendo privados de desenvolver sua arte, com o descaso do governo frente a ações de natureza cultural, com o eminente corte no Sistema S, TODOS perdem. Cada vez que você ouvir uma notícia como: “edital de arte é suspenso”, “XX edição do festival de música, dança ou teatro não acontece por falta de verba”, “galeria de arte encerra sua exposição”, “empresa Y deixa de investir em cultura”, governo anuncia corte no investimento em atividades culturais (ou extingue um ministério por exemplo!) tenha em mente que uma rede de trabalhadores está sendo prejudicada, de que uma verba que volta diretamente para diversos setores está sendo contida, de que a economia está sendo afetada.

Cultura não é gasto. É investimento, emprego e renda!”

O evento é uma realização do Sesc Farroupilha com o apoio da Marca Produções Culturais, Senac, Sesi, Sindilojas, Sindigêneros, Rotary Club, Prefeitura Municipal, Associação de Moradores, Grupo Escoteiro Guaracy e Escolas Municipais.

Para conferir todas as fotos do evento basta acessar o nosso Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *