Mostra da Fábrica de Sonhos traz quatro noites de Teatro e Dança para Farroupilha

O tradicional evento que reúne a produção teatral da cidade de Farroupilha acontece nos dias 29, 30 de novembro, 01 e 03 de dezembro.

O ano está quase terminando, e como é de praxe, no final do mês de novembro a cidade Farroupilha irá receber a Mostra de Teatro e Dança do Projeto Fábrica de Sonhos. Quase 100 alunos divididos em onze grupos subirão ao palco para mostrar suas criações gratuitamente para toda a comunidade farroupilhense. A novidade deste ano é que a Mostra contempla também os grupos de dança do projeto.

kjkj

A mostra acontecerá em parceria com os contraturnos municipais e também com a escola Antônio Minella. As apresentações ocorrerão nesses espaços onde são realizadas as oficinas de teatro com o objetivo de descentralizar a mostra, possibilitando maior acesso cultural à comunidade local, bem como fortalecer as mostras internas destes contraturnos, locais em que também acontecem outras atividades como aula de música, coral, Taekwondo, etc. Nos dias 29 e 30 de novembro e nos dias 01 e 03 de dezembro, no Centro de Atendimento Integral Senador Teotônio Vilella, Centro de Atendimento Integral 1º de Maio e Centro de Atendimento Integral Odete Zanfeliz e Escola Antônio Minella respectivamente.

A Mostra de Teatro e Dança de forma descentralizada já havia acontecido nos anos anteriores. Percebendo a importância da participação não só dos familiares, mas, de toda a comunidade farroupilhense, o evento deste ano se intensifica ainda mais nos bairros. É um convite aos moradores para conhecer esses espaços que possibilitam acesso ao conhecimento e acesso cultural às nossas crianças.

O primeiro dia de mostra, 29 de novembro (quinta-feira), acontecerá no salão da comunidade do bairro Industrial e têm início às 19h. Nesta noite o grupo Os Famintos apresenta a peça “A Fábrica de Palavras”. Na sequência o grupo Teotônio Baderna com a peça “O Médico a força”, e quem completa a programação da noite é o grupo de dança Os elétricos também do Centro Ocupacional. Na sexta-feira dia 30 de novembro, é a vez da comunidade do bairro 1º de Maio receber a mostra que será realizada no Salão da Comunidade do bairro. Tendo o “cinema” como temática central o grupo Ypslong sobe ao palco para apresentar a cena “Fragmentos de Alice” e o grupo Loading apresenta a peça “Dois Mundos”. O espetáculo de dança da Troupe vagalume e a orquestra da Instituição fecham a noite. E no dia 01 de dezembro (sábado), o projeto de mostras descentralizadas no Centro de Atendimento Integral Odete Zanfeliz., a partir das 14h. A tarde conta com a apresentação de cenas do grupo Habitantes do Porão e do grupo Misquici, além do espetáculo de dança do grupo Os incríveis.

jkkj

A última noite da mostra acontece no dia 03 de dezembro no ginásio da escola Antônio Minella, têm início às 20h e conta com o Speta Un Poqtin, grupo que tem suas atividades desenvolvidas na escola que recebe a mostra nesse dia, e que apresentará a peça “A menina que domava pesadelos”. Na sequencia o grupo GFAC – Grupo Farroupilha de Artes cênicas encerra a mostra com a peça “Do Mármore a Lama”.

As apresentações são o resultado de um processo criativo que iniciou em março deste ano. A escolha dos temas das montagens é feita por cada grupo juntamente com seus respectivos professores, que buscam encontrar um assunto que o grupo queira se aprofundar e desenvolver. A dança, linguagem que passou a integrar as oficinas da Fábrica de Sonhos neste ano, terá a sua primeira mostra. Todas as apresentações são gratuitas!

“Esse ano teremos onze grupos de teatro e dança apresentando nas quatro noites. A produção aumentou em relação aos anos anteriores e a Mostra se firma como um importante espaço de troca, em que a comunidade prestigia gratuitamente a produção cênica feita na cidade. A mostra da Fábrica de Sonhos já tem um lugar de destaque no calendário das produções locais”, comenta Cássio Azeredo organizador da Mostra.

A Mostra tem o apoio da Prefeitura Municipal de Farroupilha e é realizada pela Marca Produções Culturais. O Projeto Fábrica de Sonhos (Troféu Cultura FAMURS 2012- melhor projeto do estado na categoria teatro) está presente em outras cidades e conta com mais de 350 alunos fazendo teatro e dança.

SERVIÇO: 

O que: Mostra de Teatro da Fábrica de Sonhos

jjj

Quando/Onde/ Que horas

29 de novembro, Salão da Comunidade do Bairro Industrial, 19h
30 de novembro, Salão da Comunidade do Bairro 1º de Maio, 20h
01 de dezembro, CAI Odete Zanfeliz, 14h
03 de dezembro, Ginásio da escola Antônio Minella, 20h

Entrada: Gratuita

Sinopses dos grupos de teatro:

  • Dois Mundos / Grupo Loading / CAI 1º de Maio

A narrativa conta a história da Maria que se apaixona por Junior. Até aí tudo bem, se o Junior não fosse o menino mais lindo da escola, o mais desejado desde o pré até a oitava série, e a Maria, não fosse a Tortinha, a menina que é debochada por todos na escola. São mundos muito diferentes, mas que podem se encontrar.

  • O Médico a Força / Grupo Teotônio Baderna / Centro Ocupacional

A comédia escrita por Moliére (1622-1673) traz a cena as peripécias de Sganarelo um lenhador que vira médico com pouquíssima vergonha e ciência alguma. A trama se desenrola quando Martinha, Esposa de Sganarelo sofre maus tratos do seu marido e promete se vingar. A comédia questiona os casamentos por conveniência, em que o bolso pesa mais que o coração.

  • A menina que domava pesadelos / Grupo Speta Un Poqtin / Escola Antonio Minella

Inspirada na obra de Ramson Rigs, “a menina que domava pesadelos” conta a história de Lavínia, uma garota que tinha um único desejo: ser médica igual ao pai. Mas na época em que vive, meninas vão para escola para aprender a costurar e cozinhar, e apenas os meninos aprendem ciências. E seu pai tenta lhe ensinar isso, e fazer com que ela tenha sonhos mais realistas. Mas Lavínia acha realmente que um dia irá criar a cura para uma doença ou que irá fazer uma grande descoberta.

  • Quanto vale uma orelha ou a peculiar trajetória da lama que virou mármore / GFAC – Grupo Farroupilha de Artes Cênicas

Na pequena aldeia de Swampmuck viviam peculiares humildes, que tiravam seu sustento do plantio da terra. Não precisavam de muito para sobreviver, suas casas simples eram o suficiente, já que tinham boa saúde, e os alimentos cresciam com abundância. Até que a chegada de 3 forasteiros, fez tudo mudar. Inspirado na obra de Ramson Rigs, Esplendidos Canibais questiona até que ponto pode chegar o ser humano para satisfazer as suas ambições.

  • Fragmentos de Alice/ Ypslong / CAI 1º de Maio

Entre o mundo dos sonhos, o universo cinematográfico e a realidade, abre-se uma fenda, é ali que Fragmentos de Alice acontece. No País das Maravilhas tudo é possível, uma corrida em círculos, um chá muito maluco ou até mesmo um julgamento no mínimo confuso. A cena, inspirada na obra “Alice no País das Maravilhas” de Lewis Carrol que foi lançada em 1865 e ainda é muito atual, é permeada por trechos de filmes das diversas versões criadas sobre a obra ao longo dos anos.

  • A Fábrica de Palavras/ Os Famintos/ Centro Ocupacional

Existe um país onde as pessoas quase não falam. A palavra é comercializada à custos altos e o lugar da fala pertence aos poderosos. Para os menos favorecidos, o silêncio grita alto. Estes, encontram comunicação nos pequenos gestos cotidianos, ações de carinho que confortam e por vezes tornam-se mais significativos que as palavras disparadas pelos que possuem capital. Na cena, questiona-se o consumo exacerbado e as relações de poder.

Sinopses dos grupos de dança:

  • Se joga! / Grupo Só curte / CAI 1º de Maio

A coreografia foi criada a partir de motivações estéticas como o cabelo, as roupas e a possibilidade de cores para estes elementos. Transbordamos essas motivações com movimentos vindos de jogos de dança, clipes musicais e do repertório corporal das alunas.   A mistura dessas motivações agregadas a corpos cheios de energia resultam numa dança que irradia alegria e espontaneidade.

Música: Whip my hair – Willow Smith

  • Funkton! / Grupo Troupe Vagalume / CAI 1º de Maio

Nessa coreografia o ritmo percorre os corpos até explodir o movimento. Partindo da curiosidade dos alunos sobre os gêneros musicais do Funk e do Reggaeton, debatemos o movimento, o corpo, a dança e o ritmo.

Músicas utilizadas: Un lugar Aparte – Reggaeton Beat Instrumental – Prod. Shot Records

Do Brasil – Funk Brasileño Beat – Prod. Shot Records

  • Bambobeat! / Grupo Troupe Vagalume / CAI 1º de Maio

A coreografia foi apresentada em formato de Flash Mob no MOTIN 2018 em Setembro, e utilizou jogos de improvisação e fundamentos da técnica de dança Jazz para a criação. Após a apresentação em Setembro, os alunos passaram a agregar o conhecimento adquirido, transpondo a coreografia para fazê-la com o bambolê. A técnica de Dança com Bambolês foi estudada para a execução dos movimentos e truques aplicados.

Músicas: Nigerian Afri Hip-Hop Beat – African Pop Instrumental – Prod. Kayode Ibiayo

Mi gente – J Balvin, Willy Willian

  • Presente / Grupo As charmosas / CAI Teotônio Vilella

A coreografia aborda temas como a tristeza, frustração e a escuridão que esses sentimentos geram. Como podemos presentear ás pessoas com atitudes e ações vindas de um lugar de luz? O melhor presente é a presença, aqui e agora.

Músicas: Clear Blue Sky – Dalla

Lig-lig-lig-lé – Adriana Partimpim

Junte um daqui com um de lá – Palavra Cantada

  • Flash Mob / Os Elétricos / CAI Teotônio Vilella

Flash Mob é uma performance instantânea de pessoas em um local, realizando determinadas ações inusitadas, previamente combinadas e se dispersando tão rapidamente quanto se reuniram. Em Setembro aconteceu o MOTIN 2018 e contou com a presença de 30 alunos da cidade de Farroupilha dançando ao mesmo tempo um Flash Mob. Jogos de percussão corporal e de improvisação fizeram parte do processo de criação da coreografia, bem como alguns fundamentos da técnica de dança Jazz.

Músicas: Nigerian Afri Hip-Hop Beat – African Pop Instrumental – Prod. Kayode Ibiayo

Mi gente – J Balvin, Willy Willian

  • Acro Pop / Os Elétricos / CAI Teotônio Vilella

A coreografia é uma exploração em dança a partir de práticas acrobáticas. Durante o processo de criação os alunos aprenderam sobre a escuta corporal, para a elaboração de figuras em duplas, trios e outras formações.  A intenção é integrar partituras coreográficas a elementos acrobáticos, permitindo que os alunos descubram uma maneira singular de dançar e se divertir.

Música: DemBow árabe – G&G music

  • Aquário / Os Incríveis / CAI Odete Zanfeliz

A partir de uma preocupação ambiental, vinda dos alunos, com a poluição dos mares e oceanos e o descaso com a vida que habita esses lugares, passamos a estudar os movimentos dos seres aquáticos como: peixes, estrela do mar, tartarugas, golfinhos e algas marinhas. Imaginamos um mar todo nosso, sem lixo e com lugar para todos. A canção popular brasileira “Quem me ensinou a nadar” inspirou diversas brincadeiras, e com bambolê ganhou muitos significados, ora é um barco, ora um aquário e também uma janela para o mundo lá fora.

Músicas: Música de Ninar no Fundo do Mar

Peixinhos do Mar – Palavra Cantada

Mais informações:
www.marcaproducoes.com.br
www.facebook.com/MarcaProducoesCulturais
contato@marcaproducoes.com.br
(51) 993345359 ou (54) 999990916

Com Cássio Azeredo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>