Projeto Teatro União digital movimentou a cultura da região no mês de fevereiro.

E chegou ao fim o projeto Teatro União Digital: 172 anos de história. Foram 04 transmissões on-line que contemplaram a apresentação de 04 atrações locais da cidade de Triunfo realizadas ao vivo no Teatro União, além de 04 grupos convidados, que traçaram um panorama das produções teatrais no RS. O projeto se propunha a apresentar uma curva das produções teatrais, iniciando com um espetáculo produzido antes da pandemia, passando por produções adaptadas ao longo do período de quarentena e finalizou com obras que trouxeram a cena novos motes e ferramentas criativas utilizadas no período de isolamento social. Integraram a programação os seguintes grupos/espetáculos convidados:

  • Teatro do Clã, espetáculo O Rei Cego;
  • Makki Produções, espetáculo Pum Histórias mal cheirosas;
  • Projeto Kombina, espetáculo Saco de Brinquedos;
  • Coletivo Errática, espetáculo Hipergaivota.

As atrações locais, trouxeram um panorama da produção artística da cidade de Triunfo e contaram com a presença de:

  • Douglas Ramos, show voz e violão;
  • Fundação Cultural Qorpo Santo com a esquete Inácia em Sonho e as relações naturais de Qorpo;
  • Lis Machado com a performance O resto é Rosto – da série formas de vestir o infinito;
  • Escola De Dança Simone Carvalho com a coreografia Reencontro.

Além das atrações acima o projeto realizou dois bate papos: um com Marcos Cardoso, diretor, produtor cultural e ator do espetáculo O Rei Cego e o outro com Cássio Schonrart e Ana Makki, diretor e atriz do espetáculo Pum, histórias mal cheirosas. Ainda integraram a programação do projeto duas oficinas, “Território digital: possibilidades de criação” sob a orientação da professora Gustiele Fistarol, e “Breve experiência de escrever através de imagens” ministrada por Francisco Gick.

Além da programação diversificada composta por importantes nomes da produção artística do estado, o projeto lançou as redes digitais da Fundação Cultural Qorpo-Santo e teve um excelente número de acessos: Nas postagens realizadas no facebook da Fundação o projeto alcançou 5707 pessoas, nas transmissões on-line 4865 pessoas, no youtube 301 pessoas, e nas plataformas Zoom e site do Hipergaivota outras 96 pessoas, totalizando um envolvimento de 10970 pessoas (até o dia 01 de março). Como os materiais estão disponíveis na internet, certamente o projeto passará de 11 mil pessoas alcançadas.

“Este projeto não apenas gerou bens simbólicos importantíssimos para o retrato deste tempo, como contribuiu para ampliar a discussão sobre os processos e procedimentos criativos na pandemia. Além disto gerou emprego, trabalho e renda para 30 artistas e técnicos, além de movimentar a economia da região, afirma Cássio Azeredo produtor do projeto.

“A Fundação Cultural Qorpo-Santo por sua vez agradece a todos os envolvidos na realização deste importante projeto, neste momento difícil, especialmente às quase 11.000 pessoas que estiveram em nossos canais digitais especialmente criados a partir deste projeto. Um agradecimento especial a Secretaria de Turismo e Cultura por promover esse edital e nos ceder o Teatro União para as transições on-line”, finaliza Odila Rubin de Vasconcelos, Coordenadora Geral

A Marca Produções foi responsável por toda a viabilidade técnica, deste projeto, que contou com o financiamento Lei Aldir Blanc da cidade de Triunfo.

Equipe:

Produção Gráfica/visual: Igor Rosa

Gestão de Redes Sociais: Igor Rosa e Cássio Azeredo

Apresentação, Curadoria: Cássio Azeredo

Coordenação Técnica e Produção: Marca Produções Culturais

Técnicos/operadores: Vinicius Almeida Rodrigues e Vladi Boeira

Realização: Fundação Cultural Qorpo-Santo

Imagens de arquivo: Gladis Maia

Comentários estão fechados.